Ônibus Rápido 3D – passageiros em cima, trânsito embaixo

O trânsito na área metropolitana depende do equilíbrio entre o transporte público e o individual: se não há oferta suficiente de transporte público, as pessoas optam pelo transporte individual, congestionando as ruas e contribuindo para a poluição da cidade.

Atualmente, há 5 modais principais de transporte público na China: metrô, trem, VLT, BRT (corredores de ônibus) e ônibus convencional. Entretanto, o transporte sobre trilhos necessita de alto investimento para sua construção e o BRT ocupa muito espaço, reduzindo as vias de tráfego dos veículos comuns. Já a colocação de mais ônibus nas ruas pode piorar o trânsito ao invés de melhorá-lo.

Conheça o Ônibus Rápido 3D, um conceito futurístico de veículo capaz de transportar os passageiros acima do nível da rua, “montando” sobre as faixas de tráfego para permitir o livre trânsito dos carros abaixo dele.

Ônibus Rápido 3D

Continuar lendo

Coréia do Sul apresenta 'via de recarga' para ônibus ecológicos

Pesquisadores sul-coreanos lançaram nesta terça um sistema de transporte público ecológico usando a “via de recarga”, na qual o veículo se abastece “sugando” magneticamente a energia de faixas elétricas enterradas.

O Veículo Elétrico Online (Online Electric Vehicle – OLEV), rebocando três ônibus, entrou em operação em 8 de março no parque de diversões da zona sul de Seul. Caso o protótipo tenha sucesso, já há planos para testá-lo em uma linha de ônibus na capital. Continuar lendo

Prisencolinensinainciusol

Adriano Celentano, um cantor italiano, compôs uma música na década de 70 que reflete a compreensão dos estrangeiros (leia-se “aqueles cuja língua nativa não é o inglês”) entendem do inglês falado. A música, chamada Prisencolinensinainciusol, é feita de palavras inventadas que soam muito semelhantes ao inglês – até os americanos concordam!

De acordo com as informações da onisciente Wikipedia, Celentano disse em uma entrevista que a música que ele criou é sobre a falta de comunicação. Para ele, nos tempos modernos ninguém mais se comunica entre si. Disse que a única palavra de que necessitamos é prisencolinensinainciusol, que representaria o “amor universal”.

Ainda segundo a lógica de Celentano, depois de lançar discos sobre ecologia e questões sociais: “tendo acabado de gravar um álbum de músicas que tinham algum significado, eu queria fazer algo que nada significasse”.

Pelo jeito, a moda pegou. Confira as músicas do latim imaginário de Era.

Via: Bakadesuyo

Temaki de Enguia

Temaki é um cone de arroz avinagrado e adocicado envolto por uma folha de nori (alga) e recheado com qualquer coisa que você quiser. Por exemplo, um temaki de salmão tem recheio de salmão (não! sério?). Os temakis andam em moda ultimamente desde a popularização da culinária japonesa no Brasil. Eu me lembro quando eu era pequena as pessoas me perguntavam, “você come peixe cru? creeeeeedoooooo!”, e agora comer sashimi (peixe cru) é uma iguaria fina: “nossa, ele não come sashimi! que caipira!”

Enfim, hoje há várias temakerias (locais especializados em temaki) por aí, algumas com sabores bem brasileiros e que usam maionese, abacate, o diabo a quatro. Já experimentei muitos temakis, mas nunca fui muito fã. Geralmente servem cones enormes, com um pingo de recheio, muito arroz – arroz mal temperado, diga-se de passagem – e nori mole e borrachento. Não é o caso do restaurante Kuroshio. Continuar lendo

Viagem só de ida para Marte

A Fronteira Final! Estas são as viagens da Nave Enterprise, em sua missão de explorar novos mundos, pesquisar novas vidas, novas civilizações, audaciosamente indo aonde nenhum homem jamais esteve! (Abertura da série televisiva Jornada nas Estrelas.)

A colonização de outros planetas sempre povoou a imaginação dos povos – idéia muito difundida por escritores de ficção científica como Ray Bradbury. E o destino é sempre o mesmo: Marte, o planeta mais próximo (depois da vulcânica Vênus) e que possui condições mais propícias à vida.

Uma missão tripulada a Marte é possível com a tecnologia atual, mas necessita de gigantescos compromissos políticos e financeiros. A proposta de Schulze-Makuch e Davies, doutores das universidades de Washington e Arizona, é cortar os gastos e assegurar a continuação da exploração de Marte com o envio de uma missão tripulada só de ida. Continuar lendo